domingo, 26 de fevereiro de 2012

PINK ME UP

A FORÇA DE EXPRESSÃO PODE SER MAIS FORTE DO QUE A EXPRESSÃO DA FORÇA. 


CONFORTÁVEL.
AGRADÁVEL.
COMÓDO.
ENCAIXE.
GOSTO.
FORA DA CAIXA. 
PASTILHAS DE MELANCIA.
MUITO TEMPO. 
OLÁ ESTÁS BOA?
CRIANÇAS.
SOL E MAR.
MISS U.
CAFÉ.
SEMPRE.
BEIJOS.


SÃO PALAVRAS QUE FAZEM SENTIDO.




tempo cor de rosa, tempo deles.

e ela disse:
- Gosto de te gostar. 
e ele disse: 
- Gosto que gostes que te goste.
ela: 
- és simples. és normal. fazes-me rir. 
ele: 
- há tanto tempo que te conheço.
ela: 
- desde sempre, o tempo sabia-nos. 
ele: 

- agora o tempo é nosso. 

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Stars

Estão estrelas agora no céu. A verdade é que estão lá sempre, mas agora deixaram-se ver melhor. Ou foram apenas os meus olhos que estão mais abertos, acesos talvez. Vi aquelas estrelas e vi o que queria ver. Foi tudo. Vi te a ti e a mim e a tudo o que gostamos e queremos de nós. Vi-nos no céu iluminados com espaço e tempo infinito. E respirei. A fundo contente.

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Dia de hoje.

O Efémero é eterno. 


Dia transparente. 
Luz que deixou ver tudo. Ver claro, ver sóbrio, ver cores nas cores, ver o céu no mar e o mar no céu. 
Dia transparente. 
Sem ofuscar, sem vertigens, sem torbulencias, liso tudo liso em linhas originais. 
Dia transparente. 
Estar ali como se tudo fosse normal e de sempre. 
Dia transparente. 
Em brilho, sem mate. 
Dia transparente. 
Sem ser fluorescente. 
Dia transparente.
Para quem sente. 
Dia transparente.
Efémero, mas eterno. 

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

se for por ai fico contente.

e agora já posso ir mais longe atrás do sol. 
preciso de ver o mar misturado com a luz. ou andar no rio ao sabor do vento com musica no prego a parecer que estou a voar. 
para alargar as margens e realizar que o mundo ainda é enorme, perto e longe. 
que cada vez mais as pessoas saiem de casa pelas razões certas e vão.
é boa a vida de tão simples que pode ser. 

a potencia do gerador ilumina a cor. é gratuito. vamos? vamos.

SOL E SOMBRA, SÃO LUGARES.

O CENTRO DAS ATENÇÕES EQUILIBRA AS INTENÇÕES. 


EU JÁ SABIA ISTO: QUEM PROCURA OS OUTROS ENCONTRA-SE A SI PROPRIO. 
SE EU TE PROCURO É PORQUE QUERO SABER DE MIM. 
COMO SE MEDISSE A MINHA TEMPERATURA NA TUA. 
COMO SE AO VER-TE DE FORA ME VISSE DE DENTRO. 
COMO SE TUDO O QUE DIZES FOSSE O QUE EU DISSESSE, E ISTO PRÓ RESTO TODO. 
SEI DE MIM A SABER O QUE NÃO SEI DE TI. 
FICAS A SABER O QUE NÃO SABIAS, PORQUE EU NUNCA TE TINHA DITO. 
E ASSIM FICAMOS. 
MAS FICAMOS MELHOR DO QUE ESTAVÁMOS. 
A MOBILIDADE MANTÉM-NOS NO FILME. ISTO DITA O GUIÃO. 
SEM EMOÇOES, NÃO HÁ RAZOES. 

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Memória. A Ferramenta.

Projeto Memória


Quase dois meses passados do lançamento do Projeto Memória aqui no Facebook, partilhamos hoje, com muito orgulho, mas também com muita humildade, um pouco da nossa própria história:

Todos sabemos que uma grande história, no momento certo, pode mudar a nossa opinião ou soltar aquele vital "Ah! Agora sim!". Porque olham na direcção certa: das pessoas. Elas atraem-nos muito mais depressa do que o melhor dos relatórios anuais. Falamos de histórias fabulosas num bar, numa carruagem de metro, na hora do cafezinho no trabalho, com a família. Lugares onde raramente discutimos estatísticas... Foi com esta convicção que, em 2004, a brasileira Sandra Carvalho decidiu entrar no universo da memória empresarial. Alguns anos depois, já a morar em Portugal com o marido, teve a sorte de tropeçar numa das edições da revista Gingko, e encontrar o parceiro ideal para lançar o PROJETO MEMÓRIA em Portugal.

E foi incrível perceber que, mesmo sem nunca terem trabalhado juntos, acreditavam no mesmo instinto: fazer zig, quando toda a gente faz zag. A história que começa agora resume-se a isto: o PROJETO MEMÓRIA não é mais do que uma identidade singular da inclinação, da empatia e da paixão por histórias que unem três pessoas ao mesmo destino. Porque há afinidades entre seres humanos que não se conseguem explicar. Ou esse íman misterioso existe, ou não existe. Não é possível forçar, tal como um cirurgião não pode obrigar o corpo de um paciente a aceitar o órgão do doador errado.

O storytelling é ainda um nicho em Portugal, mas as grandes coisas vêm sempre das margens. Lançar um projecto novo no momento da maior crise dos últimos 50 anos é a prova de que grandes ideias podem vir de qualquer lugar, mas a maioria surge no limite. Porque no limite podemos ver todo o tipo de coisas – tudo o que não conseguimos ver no centro.

É observando das margens que afirmamos que o PROJETO MEMÓRIA resgata a história das empresas, mas não apenas olhando para o seu passado. Memória Empresarial é muito mais do que isso. É, sobretudo, o uso que a empresa faz da sua História.

E podem acreditar: parte importante da nossa história começa aqui.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

tempo ao tempo

O resto chama-se tempo. 
Depois da decisão tomada. 
Depois da historia apagada em formato de letras fisicas. 
Depois de saber que não há logicas nem equações consequentes. 
Depois de saber que tão importante como o sentimento é a capacidade. 
Depois de saber que não há coragem. 
Depois de saber que não se está na mesma linha, na mesma medida, no mesmo compasso. 
Depois de saber do desencontro. 

Sobra tudo o resto. Chama-se tempo. 

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Luz que se vê e sente.





Naquele fim de tarde dois dias antes, estava assim a luz no rio. 
Como posso não agradecer a capacidade do cenário ser este, ali à disposição de todos os que como eu o puderam ver e gozar? As leis da natureza são para cumprir, e neste acordo so posso contentar-me. 
Andar no rio quando os horarios me permitem tem sido a melhor terapia. Enche-me de liberdade e alento, faz bem a tudo fisica e mentalmente, é gratuito, está lá sempre a minha espera quando decido arrancar porque sim. 
Não me canso de saber: vivo no melhor país do mundo. Visto de fora e de dentro. 
Sorte tenho.