terça-feira, 23 de novembro de 2010

teia em filme...o que da 1 filme, da 1 filme..sem rodeios.

video

love your way

suspensa a vida, por um telefonema que não chega. 
o que pensar, como intrepretar, o que fazer, onde por as mãos, o que dizer, o que sentir...quando a energia toda se escoa na causa. era a resoluçao da questão. enorme humildade que se exige, quando a nossa vida, ou quase toda, está nas mãos de outros. 
não quero falar, não quero perguntar, não quero pressionar. e sabemos que inconscientemente, aguardamos dominando a exaltação e ansiedade para que o resultado seja o que se quer.
estou como for, onde for, o que for, contigo. mas quero te bem, resolvido, integrado, apaziguado e orientado. mesmo assim a vida rola. na alegria dos outros, nos pequenos nadas de detalhes que fazem a soma dos dias..e assim se espera. com esperança lá dentro. a não desistir nunca..
assim te gosto. porque acima de tudo assim te respeito. 

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

O MUNDO DEVIA TER FESTA DE ANOS.


- mãe, alguém devia inventar o dia do nascimento do mundo. assim havia um dia em que o mundo fazia anos. eu quero dar 1 presente ao mundo, vou lá entregar. 
- o quê duarte, o que vai dar de presente ao mundo?
-  uma bola mãe claro. 
- a mãe acho isto tudo uma estupidez, não acha? 
- não duarte, pelo contrario, acho lindo o que está a dizer. 
-  pois mãe, sabe porquê? 
-  não meu amor
- porque eu adoro o mundo e deviamos cantar os parabens, e assim no dia do  mundo todas as pessoas do mundo cantavam os parabéns, mesmo a horas diferentes......

acho que mais nada a dizer. isto é o meu d. 

menino vestido de sol

vestido de sol és tu. porque o sol também nasce em ti e se põe, na luz toda que se vê de fora. 
será que o sol, sabe que é sol? não me parece que saiba, porque é grande demais para isso. antes de ser já era, e não pode escolher. ficou então responsável pela luz de toda a terra. dele saiem as cores, o calor, a energia, a possibilidade da vida temperada. 
digo eu que aqui na superfície da terra, andam sois também de mão dada connosco. não percebem o efeito, porque os raios são tão rápidos, que eles (os sois) não percebem o que atingem. são iluminados, sem saberem que são. aquecem o frio dos outros, tornam claro o que era escuro. ser tocada por um sol é ficar quentinha cá dentro também. eu sei o que isso é.

sábado, 6 de novembro de 2010

meu coração ta no mundo..


meu coraçao ta no mundo....levado por aqueles de quem gosto, e que por razoes diferentes viajam..
gosto dessa sensação. um bocado de mim, está lá, aonde quer que estejam eles, os meus eleitos.
foste para a india, buscar mais paz.
foste para o brasil, atras do sol, ou noutra versão ainda, menino do rio...
foste para o amado, amar e ser amada...
foste para o brasil atras dum projecto, e festejar os teus anos...
foram mas voltam, e neste ir e voltar, o meu coraçao, vai e vem...porque me levam e trazem, e fico ligada sempre..
um dia também eu irei, e levo comigo todos aqueles que me cabem..porque o coração é elastico e por isso mesmo viaja, até onde for preciso. sem fronteiras, sem mapas, nem bussulas, ou autoestradas. Voa..contente, porque cheio..e deixa se ir sem fechaduras..

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

amanha, tenho tempo. escrevo sobre os Afonsos.

fomos roubados..sem muito mais pra dizer.

- trimmm
- quem é?.
- sou eu.podes abrir
- vens por bem? 
- claro
- então entra.


senão, não cabes. não es benvindo.não serves. não te convidámos. és intruso e abusaste. mexeste naquilo que não te pertence. invadiste o nosso espaço, entraste no nosso espaço para usar e abusar, tocaste no que temos para dar a quem amamos. levaste sem pedir, desfizeste a obra feita. deixas-nos sem fala e sem chão. não, nunca te demos a chave. 
que saibas ao menos perdoar-te. tudo se recompra, tudo se substitui, tudo se reinventa, tudo se começa, para quem sabe que está e é, por bem. nunca mais voltas. já não cabes. e porque nós somos maiores que tu. 

terça-feira, 2 de novembro de 2010

assim escrevia o meu avô...escreveria hoje igual caso pudesse.

"Calam-se as vozes da razão, ressoam mais alto as do lucro, com a astúcia dos seus disfarces: os homens abandonam a linguagem articulada, para se reduzirem a ventríloquos na grande feira das vaidades e dos interesses, em que não é possível descobrir apóstolos de fé e exemplo, mas vendedores de palavras" 
Hipólito Raposo 1940

curso de escrita criativa - cia do eu.

pedem-me que escreva sobre outros.
não o sei fazer. nada me sai, numa pele que não é a minha, num coração ao lado, nuns olhos que não vêem, o que não sentem. 
mas,  para isso lá estou, para aprender a sair de mim, do meu horizonte, do meu plano onde me mexo e remexo, onde sem filtros digo e escrevo tudo, ou quase tudo o que me vai na alma. 


Criar personagens, inventar historias e diálogos, de corações alheios, de sentimentos tão diferentes, e perspectivas opostas. Ver a vida com outros olhos,  saindo de mim mas não saindo, para dar cara, cor e emoção, ao que afinal não me vai no coração.
difícil exercício este...