quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

tu, cabes todo em mim.

a vida dos outros, metida na nossa, faz a nossa vida ser mais pequena..
quando se percebe nos testemunhos alheios, que afinal de contas, nada é tão grande, nem tão mau como parece..ou como pensavamos que era. diluidas as coisas,  em verdades concretas, percebendo que os corações rodam sempre para o mesmo lado, minimizamos a amplitude do nosso foco, em prole duma historia sabida e sentida por outro, que é maior, mais complexa e mais ou tão inquieta como a nossa..
assim foi hoje assim será, eu espero,  para sempre. 
bom é ter amigas com quem cruzamos confissoes, que nos fazem pensar alto e sem filtros, que nos aceitam, na medida, da confusão por vezes do nosso coração dito em razão. Eu ao pé de ti, não sou nada de complicado afinal. porque me é permitido sentir o que sinto, em tantos sentidos, em prol duma verdade inegável, que acreditava indizivel, até para mim mesma...como tudo flui, Meu Deus. 
A vida são as pessoas. como nós. fazemos todos parte do mesmo. 
descanso em paz nesta noite, sem tormentas, onde te levo nos sonhos tão desejados e permitidos porque compreendidos e relativizados. 
assim me torno menor porque maior, na sabedoria de que, estamos todos entrelaçados..
vale a pena. mesmo. a nossa alma? não é pequena. pelo contrário, nela cabem a nossa e a vida dos outros que amamos, sabendo.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

be my boy.

Be my boy, be my boy
Be my boy, be my boy

Be my boy, be my boy
Be my boy, be my boy

I've been thinking about those things you said
I've been thinking about those things we did
I've been thinking about those things you do
I've been thinking about those things you made me do too

Be my boy, be my boy
Be my boy, be my boy

I was hypnotized
By your fairy eyes
Like a tiger in the dark
You were hungry from the start

Be my boy, be my boy
Be my boy, be my boy

Diamonds, candy pills
One million dollar bills
You can try
But you can't buy me, buy me

Diamonds, candy pills
One million dollar bills
You can try
But you can't buy me

You can slide slide
Slippity slide
Hip hop
And don't stop
I'll never be
On my knees

You can slide slide
Slippity slide
You can hip hop
And don't stop
'Cause I'll never be
On my knees

When I saw you on the street
I just had to look away
You were so sweet
Sexy Steez
Lay back relax
Street boy please
Wait a second it's gonna take awhile

Slide slide
Slippity slide
You can hip hop
And don't stop
I'll never be
On my knees

You can slide slide
Slippity slide
You can hip hop
And don't stop
I'll never be
On my knees

I've been thinking 'bout
Why you act so proud
I've been thinking 'bout
What's this shit about
Am I losin' control
Am I losin' my soul
Just tell me am I losin' you

Be my boy, be my boy
Be my boy, be my boy

Be my boy, be my boy
Be my boy, be my boy

Diamonds, candy pills
One million dollar bills
You can try
But you can't buy me

You can slide slide
Slippity slide
You can hip hop
And don't stop
'Cause I'll never be
On my knees

You can slide slide
Slippity slide
You can hip hop
And don't stop
'Cause I'll never be
On my knees

I've been thinking 'bout
I've been thinking about
I've been thinking 'bout
I've been thinking about
Losing you

Brigitte Bardot vs. Cat Power

domingo, 12 de dezembro de 2010

i can't take my eyes of you

fujo de mim ás vezes na tentativa de fugir de ti..
não não me sais da frente, confesso. de pouco adianta poupar recusar fingir..
os silencios fazem parte da musica tambem, assim como as sombras fazem parte da luz, sem o oposto o resto não existe sozinho.
um lado meu não existe sem ti. mesmo que fique as escuras, sem barulho, não me sais da frente meu amor..

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

nunca..

Eu nunca te deixo quando me afasto.
porque te transporto comigo e falo contigo no pensamento. 
porque fazes parte do meu mundo de todos os dias, a tantas horas. 
és de mim.

domingo, 5 de dezembro de 2010

perguntas sem respostas à letra.

onde estás?para onde vais? de onde vens? o que te faz rir, e chorar? o que fizeste? qual o sentido do teu coração? qual a direcção? porque  sentes assim? porque foges? porque procuras o que não ha? porque complicas?porque disseste e não fizeste? o que te eleva? o que te põe contente? o que te  faz ser gente?
o que te enche as  medidas? o que te tira do serio? o que te aquece? como sabes? o que queres afinal? 
não sabes. pois,  bem me parecia.
ora então, não te perguntes. sente, porque assim és gente. vive, porque assim os dias se fazem leves. deixa te ir, só sabes o bom, se fores. 
sabes o que sei? 
é que somos maiores do que pensamos, mais fortes do que imaginámos, mais capazes do que julgamos, mais herois quando nos surpreendemos, mais frageis porque deixamos...e assim o coração nosso vai e volta cheio,  porque contente está. 
 

e, valeu a pena????

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

SLIDING DOORS







SLIDING DOORS 


é o nome de um filme que vi à muito tempo. 
contava a historia do que a vida pode ser se o acaso fizer com que se passe naquela porta àquela hora, ou no minuto a seguir. o que tudo pode mudar...por causa dum abrir e fechar de portas..
hoje foi mais ou menos assim. 
fiz marcha atras para ir comprar um franguinho a correr, vinda da foot escola fora de horas, podia ter seguido em frente directa a casa sem pensar. por causa disso encontro o meu irmão que pára o carro á minha frente e vai ao meu carro dar mimos ao d, incluindo um subsidio de 10 euros para ele por no mealheiro. esperando eu, calmamente pelo frango acabado de assar, realizo que não tenho um tostão na carteira. saio para o meu irmão de "salvar"..ele tinha dado os seus últimos  10 euros ao d....assim acabou o meu d a pagar -nos o jantar...a cobrar: -Mae, deve-me 10 euros...
bom. 
a vida rola em fracções de segundo..o flash é pra seguir, sem hesitar..as coisas compoem-se sim, se assim estiver escrito pra serem. faz me sentido. 
hoje, não era pra me veres. por isso não me viste, e eu estava la em qualquer parte.. 
a vida rola e não pára, e nós temos o privilégio gigante de escolher a boleia do momento certo. só é preciso estarmos acordados...

terça-feira, 23 de novembro de 2010

teia em filme...o que da 1 filme, da 1 filme..sem rodeios.

video

love your way

suspensa a vida, por um telefonema que não chega. 
o que pensar, como intrepretar, o que fazer, onde por as mãos, o que dizer, o que sentir...quando a energia toda se escoa na causa. era a resoluçao da questão. enorme humildade que se exige, quando a nossa vida, ou quase toda, está nas mãos de outros. 
não quero falar, não quero perguntar, não quero pressionar. e sabemos que inconscientemente, aguardamos dominando a exaltação e ansiedade para que o resultado seja o que se quer.
estou como for, onde for, o que for, contigo. mas quero te bem, resolvido, integrado, apaziguado e orientado. mesmo assim a vida rola. na alegria dos outros, nos pequenos nadas de detalhes que fazem a soma dos dias..e assim se espera. com esperança lá dentro. a não desistir nunca..
assim te gosto. porque acima de tudo assim te respeito. 

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

O MUNDO DEVIA TER FESTA DE ANOS.


- mãe, alguém devia inventar o dia do nascimento do mundo. assim havia um dia em que o mundo fazia anos. eu quero dar 1 presente ao mundo, vou lá entregar. 
- o quê duarte, o que vai dar de presente ao mundo?
-  uma bola mãe claro. 
- a mãe acho isto tudo uma estupidez, não acha? 
- não duarte, pelo contrario, acho lindo o que está a dizer. 
-  pois mãe, sabe porquê? 
-  não meu amor
- porque eu adoro o mundo e deviamos cantar os parabens, e assim no dia do  mundo todas as pessoas do mundo cantavam os parabéns, mesmo a horas diferentes......

acho que mais nada a dizer. isto é o meu d. 

menino vestido de sol

vestido de sol és tu. porque o sol também nasce em ti e se põe, na luz toda que se vê de fora. 
será que o sol, sabe que é sol? não me parece que saiba, porque é grande demais para isso. antes de ser já era, e não pode escolher. ficou então responsável pela luz de toda a terra. dele saiem as cores, o calor, a energia, a possibilidade da vida temperada. 
digo eu que aqui na superfície da terra, andam sois também de mão dada connosco. não percebem o efeito, porque os raios são tão rápidos, que eles (os sois) não percebem o que atingem. são iluminados, sem saberem que são. aquecem o frio dos outros, tornam claro o que era escuro. ser tocada por um sol é ficar quentinha cá dentro também. eu sei o que isso é.

sábado, 6 de novembro de 2010

meu coração ta no mundo..


meu coraçao ta no mundo....levado por aqueles de quem gosto, e que por razoes diferentes viajam..
gosto dessa sensação. um bocado de mim, está lá, aonde quer que estejam eles, os meus eleitos.
foste para a india, buscar mais paz.
foste para o brasil, atras do sol, ou noutra versão ainda, menino do rio...
foste para o amado, amar e ser amada...
foste para o brasil atras dum projecto, e festejar os teus anos...
foram mas voltam, e neste ir e voltar, o meu coraçao, vai e vem...porque me levam e trazem, e fico ligada sempre..
um dia também eu irei, e levo comigo todos aqueles que me cabem..porque o coração é elastico e por isso mesmo viaja, até onde for preciso. sem fronteiras, sem mapas, nem bussulas, ou autoestradas. Voa..contente, porque cheio..e deixa se ir sem fechaduras..

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

amanha, tenho tempo. escrevo sobre os Afonsos.

fomos roubados..sem muito mais pra dizer.

- trimmm
- quem é?.
- sou eu.podes abrir
- vens por bem? 
- claro
- então entra.


senão, não cabes. não es benvindo.não serves. não te convidámos. és intruso e abusaste. mexeste naquilo que não te pertence. invadiste o nosso espaço, entraste no nosso espaço para usar e abusar, tocaste no que temos para dar a quem amamos. levaste sem pedir, desfizeste a obra feita. deixas-nos sem fala e sem chão. não, nunca te demos a chave. 
que saibas ao menos perdoar-te. tudo se recompra, tudo se substitui, tudo se reinventa, tudo se começa, para quem sabe que está e é, por bem. nunca mais voltas. já não cabes. e porque nós somos maiores que tu. 

terça-feira, 2 de novembro de 2010

assim escrevia o meu avô...escreveria hoje igual caso pudesse.

"Calam-se as vozes da razão, ressoam mais alto as do lucro, com a astúcia dos seus disfarces: os homens abandonam a linguagem articulada, para se reduzirem a ventríloquos na grande feira das vaidades e dos interesses, em que não é possível descobrir apóstolos de fé e exemplo, mas vendedores de palavras" 
Hipólito Raposo 1940

curso de escrita criativa - cia do eu.

pedem-me que escreva sobre outros.
não o sei fazer. nada me sai, numa pele que não é a minha, num coração ao lado, nuns olhos que não vêem, o que não sentem. 
mas,  para isso lá estou, para aprender a sair de mim, do meu horizonte, do meu plano onde me mexo e remexo, onde sem filtros digo e escrevo tudo, ou quase tudo o que me vai na alma. 


Criar personagens, inventar historias e diálogos, de corações alheios, de sentimentos tão diferentes, e perspectivas opostas. Ver a vida com outros olhos,  saindo de mim mas não saindo, para dar cara, cor e emoção, ao que afinal não me vai no coração.
difícil exercício este...

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

os laços não são nós..

laço.composto. atado com cuidado, dedicação e gosto. feito de propósito para ficar bem e bonito. e acima de tudo para que se mantenha. 
dos nós não digo o mesmo: os nós criam se em confusões..é pra que não se desfaça o emaranhado da confusão, sem sentido. por isso ser confusão. trapalhada atada em si mesma..
tem nós que são cegos, de tão fechados em si mesmos. insistem em ficar. parece que gostam de ser assim. 
os laços são extensíveis. podem ser elásticos até. estão bem resolvidos. 
os laços somos nós. 
os nós não são laços. 
disconto os nós que formam laços, propositados, que garantem a segurança e que são uteis. a esses chamo os nós direitos. os nós que somos nós...

terça-feira, 26 de outubro de 2010

the only way.

TEIA







experiencia dum sonho que estava guardado...
não estou sozinha. é tudo mais facil.
vai dar certo, porque os outros vão gostar, e nós vamos gostar que os outros gostem do que fazemos.
tem vezes que a vida nos dá esta janela: trocar o certo pelo incerto para ir atras dum sonho...e eu vou.
com paixão, a acreditar, com a chave na mão.

TEIA- A teia é como chamamos o conjunto de fios de seda produzidos pela aranha para sua sobrevivência.
A TEIA é também uma rede, feita de linhas tenues e frageis mas tão resistentes. Dão alento e protegem-na para que viva, em silencio, sem maçar ninguem...

TEIA em rede é o que vamos fazer, umas linhas ligam-se ás outras, numa especie de espiral que pode nunca mais acabar...tem a consistencia das ligaçoes que se suportam gratuitamente, porque todas estão para o mesmo fim.

Li que: a regra de ouro está no equilibrio. o corpo humano obedece à regra de ouro.
também uma teia se alinha neste conceito:
mesmo que se decomponha, é sempre uma teia. 





segunda-feira, 25 de outubro de 2010

viagem pelo universo..

Almas gémeas...

«(...)As almas gémeas quase nunca se encontram, mas, quando se encontram, abraçam-se. Naqueles momentos em que alguém diz uma coisa, que nunca ouvimos, mas reconhecemos não sei de onde. E em que mergulhamos sem querer, como se estivéssemos a visitar uma verdade que desconfiávamos existir, de onde desconfiamos ter vindo, mas aonde não tínhamos conseguido voltar.
O coração sente-se. A alma pressente-se. O coração anda aos saltos dentro do peito, a soluçar como um doido, tão óbvio que chega a chatear. Mas a alma é uma rocha branca onde estão riscados os sinais indeléveis da nossa existência. (...)
Gémea não é igual. É parecida. Não é um espelho. É uma janela. Não é um reflexo. É uma refracção. (...)
O desejo de encontrar uma alma gémea não é o desejo de reafirmarmos a unicidade da nossa existência através de outro que é igual a nós. É precisamente o contrário. É poder descansar dessa demanda. No fundo, todos nós duvidamos que tenhamos uma alma. Senão não falávamos tanto dela.
Uma alma gémea é a prova que não estamos sozinhos. (...)
O estado normal de duas almas gémeas é o silêncio. Não é o "não ser preciso falar" - é outra forma de falar, que consiste numa alma descansar na outra. Não é a paz dos amantes nem a cumplicidade muda dos amigos. Não precisa de amor nem de amizade para se entender. As almas acharam-se. Não têm passado. Não se esforçaram. Estão. É essa a maior paz do mundo. Como é que um ninho pode ser ninho doutro ninho? Duas almas gémeas podem ser.
Como é que se reconhece a alma gémea? No abraço. (...) Quando duas almas gémeas se abraçam, sente-se o alívio imenso de não ter de viver. Não há necessidade, nem desejo, nem pensamento. A sensação é de sermos uma alma no ar que reencontrou a sua casa, que voltou finalmente ao seu lugar, como se o outro corpo fosse o nosso que perdêramos desde a nascença. (...)
As almas gémeas revelam-se uma à outra. Não são iguais. Mas revelam-se de forma igual. Como se tivesse surgido, de repente, uma língua que só os dois conseguissem falar. (...)
Toda a angústia do eu se dissipa. É-se inteira e naturalmente aceite. Sem perguntas. Sem condições. Sem promessas. E mergulha-se no outro como se já não fosse preciso existirmos.»

Miguel Esteves Cardoso, Explicações de Português
.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

oliveiras e sobreiros...

houve um dia que me ensinaram a abraçar uma arvore.
abraçar uma arvore faz-nos sentir as raízes. 
tem uma energia muito forte. está amarrada á terra.
mas mesmo sem abraçar, olho para as arvores e sinto protecção.
gosto de sobreiros. tu gostas de oliveiras.
os sobreiros são masculinos as oliveiras são femininas.
é por isso que eu gosto de sobreiros e tu de oliveiras...a atracção pelo contrario em regime de compensação..digo eu.
são ambas cheias de historias..antigas. resistentes, passe o que passar..estão e ficam lá á nossa espera. e eu digo: sei que gostam de abraços...porque se sentem úteis para alem da cortiça e do azeite que nos dão.
1 dia quero: adormecer ali.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

It was an early morning yesterday
I was up before the dawn
And I really have enjoyed my stay
But I must be moving on
Like a king without a castle
Like a queen without a throne
I'm an early morning lover
And I must be moving on
Now I believe in what you say
Is the undisputed truth
But I have to have things my own way
To keep me in my youth
Like a ship without an anchor
Like a slave without a chain
Just the thought of those sweet ladies
Sends a shiver through my veins
And I will go on shining
Shining like brand new
I'll never look behind me
My troubles will be few
Goodbye strange it's been nice
Hope you find your paradise
Tried to see your point of view
Hope your dreams will all come true
Goodbye Mary, Goodbye Jane
Will we ever meet again
Feel no sorrow, feel no shame
Come tomorrow, feel no pain
Now some they do and some they don't
And some you just can't tell
And some they will and some they won't
With some it's just as well
You can laugh at my behavior
That'll never bother me
Say the devil is my savior
But I don't pay no heed
And I will go on shining
Shining like brand new
I'll never look behind me
My troubles will be few
Goodbye stranger it's been nice

por causa da lua..

today i stop the world - he said.
take me to the moon - she said


a lua. não falha. mexe. não falha nunca. vem sempre. mesmo que escondida, a querer que a veja, sem saber que quer. dela não dependem as nuvens ou a cor do céu. mexe nas marés, nas colheitas, nos índios, nas mães futuras que esperam contentes. guardo-a sempre, rente,  a mim, e também a ti, que a queres como eu. 
um dia vamos? vamos. 
silencio da lua que me remete, a um respeito que respeito sempre. impoe-se segura, cheia, ou em fases noutras que fazem parte. lua feminina, discreta, porque nada mais precisa de mostrar ou provar. é o que é. e eu, rendo-me, euforica por dentro á sua evidencia. 

D day

8 anos de amor sem condição, porque é incondicional.
meu amor Duarte, faz anos. Está feliz consciente do tempo e da sua altura na vida.
eu feliz por ele. e por nós, que o gozamos e vivemos a vê-lo descobrir o mundo.parabéns por tudo o que é, por tudo o que nos dá.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

encomenda da vida, encomendada.

temos a mera ilusao de que comandamos e encomendamos a vida á vida.
mera ilusão digo, porque sei.
como se fossemos nós os capazes da mestria de tudo prever e desenhar, nos destinos, e designios de cada um.
não, não,não.
para o projecto de vidas existe um arquitecto, que esgalha, poe a escala, mostra os traços e as linhas com que,  nós aqui nos cozemos...pois, nós só cozemos, com as linhas e reguas e esquadros que nos são dados.
esse sim é o livre arbitrio da escolha da cozedura...tudo o resto,  o lume das coisas já estava previsto.
assim é. assim será. e ainda bem confesso.
mas, tambem acrescento, que apesar disso, as liçoes são para aprender, e o livro de normas do arquitecto, é mesmo para cumprir...ou seja, os momentos gigantes e maiores surgem quando sem saber e esperar, para eles estamos mesmo preparados, preparados porque cumpridos em nós..
e a vida surpreende, com presentes em caixas surpresa que nos batem á porta..quando nos inteiramos, não temos como recusar e fugir...já la estamos, presos porque livres no laço que nos abraça.

sábado, 17 de julho de 2010

A vida não foi feita para estarmos sozinhos.
Por muito que as vezes o compromisso pese, e rotina se instale parecendo querer ficar, tudo é melhor a dois.
As cedencias fazem se gratuitas quando quem está ao nosso lado nos faz ser mais de nós proprios.
e se páro pra pensar, sei que os momentos melhores da minha vida nunca foram estando sózinha, havia sempre alguém do lado, atras, ao longe ou mesmo á frente, mas havia e ha sempre alguém, e é por isso que esses são os momentos melhores.
Quando o botão da solidão triste dispara, ha que detectá-lo, para o contrariar. reagindo. as provas vêm, o telefone toca. porque alguem algures, gosta de nós e vem para os nossos braços.
Hoje foi assim. Vem sempre Querida Guli, és muito bem vinda.

terça-feira, 13 de julho de 2010

se sim ou não.

as vezes parece que vivo noutro planeta.
as vezes parece que o que é, é.
as vezes não sei se sou eu que invento, ou sou lúcida demais.
as vezes sei mesmo que a unica coisa permananente é a mudança.
as vezes o encanto vai-se como por magia.
as vezes acordo achar o certo, incerto, e nao da pra correr atras do sonho.
as vezes tudo o que parecia tudo, já não é tanto.
as vezes tá lua nova.
tem destas coisas, pois tem.
as vezes não gosto do que gosto.
as vezes, tem vezes. sem reveses. (por isso escrevo em amarelo)

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Fox's a origem

" Confesso ter nascido com tendência para endireitar o Mundo" José Hipolito Raposo -Avô
"...para se ser lavrador...não basta conhecer o nome das estrelas, o rumo dos ventos e o voo dos passaros"
Valentina Pequito Rebelo Vaz Raposo -Avó

FOX'S

" Nasceu O Tomáz Hipólito. Sairá aos seus com certeza. Vai ser um Homem do Mundo, ter um humor perspicaz, fazer perguntas e perguntar-se. Vai escolher no passado os meios para conseguir fazer o Futuro. Vai saber que não há limites a não ser os dos outros. Vai ter defeitos que melhorará com o tempo e qualidades que multiplicará. Vai ter sangue na Guelra e Paz de espírito. Vai viver a era do conhecimento. É meu Sobrinho."


Este comentario foi escrito pelo meu primo/irmão Zeca.

Faço minhas as palavras dele,e aplico exactamente as mesmas ao meu (e dele) sobrinho Franciso Hipolito que nasceu tb num dia 7, tres meses antes. Qua a herança de adn's e a vida lhes dêem uma vida contente e cheia.

quarta-feira, 30 de junho de 2010

good hope

somos donos da nossa vida, dos nossos sonhos, das nossas fantasias, das nossas crenças, dos nossos coraçoes, do nosso amor, do nosso caminho, das nossas alegrias, das nossas dores, das nossas escolhas, das nossas praias, dos nossos lugares...de tudo ou quase tudo o que queremos, porque podemos.



do nosso mundo, somos donos.

terça-feira, 29 de junho de 2010

nós que nao temos nós...

não dizes, ou dizes pouco, mas isso basta pra eu saber que sim. que sim que gostas de mim, como eu gosto de ti. gosto de ti assim. gosto que gostes de ti, tambem assim. eu tambem gosto mais de mim, por causa de ti, e nós em nós. nós que nao temos nós nem novelos embaraçados. somos dois fios abraçados que se juntam porque querem, que se abraçam sem fim.

osho hoje. saiu-me esta carta....roots. i mean.

New Vision






When you open up to the ultimate, immediately it pours into you. You are no longer an ordinary human being - you have transcended. Your insight has become the insight of the whole existence. Now you are no longer separate - you have found your roots.






Otherwise, ordinarily, everybody is moving without roots, not knowing from where their heart goes on receiving energy, not knowing who goes on breathing in them, not knowing the life juice that is running inside them. It is not the body, it is not the mind - it is something transcendental to all duality, that is called bhagavat - the bhagavat in the ten directions ....






Your inner being, when it opens, first experiences two directions: the height, the depth. And then slowly, slowly, as this becomes your established situation, you start looking around, spreading into all other eight directions. And once you have attained to the point where your height and your depth meet, then you can look around to the very circumference of the universe. Then your consciousness starts unfolding in all ten directions, but the road has been one.
The figure on this card is being born anew, emerging from his earthbound roots and growing wings to fly into the unbounded. The geometric shapes around the body of the figure show the many dimensions of life simultaneously available to him. The square represents the physical, the manifest, the known. The circle represents the unmanifest, the spirit, pure space. And the triangle symbolizes the threefold nature of the universe: manifest, unmanifest, and the human being who contains both.







Now you are presented with an opportunity to see life in all its dimensions, from the depths to the heights. They exist together, and when we come to know from experience that the dark and the difficult are needed as much as the light and easy, then we begin to have a very different perspective on the world. By allowing all of life's colors to penetrate us, we become more integrated.

Time Is On My Side

re-start my heart for a good reason: time.

crescemos e mudamos. crescer é andar pra frente, e concluir e evoluir. o crescimento gera mudança.
ao contrario do que sempre pensei e acreditei, as pessoas mudam. afinal.e ainda bem. mudar é deixar pra tras o que nao gostamos em nós e combater isso, com uma troca ou substituiçao de um novo formato, de uma nova forma de olhar e ver a coisa.
por causa de 1 pessoa, a minha relaçao com o tempo mudou. e eu gosto disso. gosto de sentir que já nao ando contra o  tempo, ando sim ao lado dele. cabe tanta coisa num só dia. ganhei-me em mim e em tempo. e isso faz-me contente, por causa da paz..
os chips de ansiedade foram trocados pela drive da calma.
we can always restart our heart!

quarta-feira, 2 de junho de 2010

sábado, 29 de maio de 2010

Alegria contagia


sobre a alegria.
alegre de quem é alegre.
alegria é um dom contagiante. é ver a vida ás cores. é ver a vida a rir. é ver a vida e vive-la contente por dentro e agradecer.
sorte tem, quem sabe isto.
ser  alegre é cantar sempre, mesmo nas dificuldades.
ser alegre é ser simples.
é saber rir de si proprio, e poder com isso.
é aplaudir a vida, e abraçar com jeito quem gostamos.
é ir pra cima duma montanha e gritar para o eco.
é tomar banho no mar e fechar os olhos no mergulho, saboreando aquele momento.
é olhar para os outros, e deslumbrar-se...com a maravilha do ser humano.
ser alegre é abrir o coraçao, na sua linguagem mais genuina.
quem é alegre, é responsavel, por passar a alegria. que se faz nas mais pequenas coisas.
é alegre quem não desiste. porque, acredita que os dias se fazem bons.

anamar, ana

A minha amiga Anamar, fez 50 anos.E,festejou-se como devia, e como merecia.
Festejou em alta, com os amigos que lhe foram passando na vida. A vida festeja-se com os amigos, celebra-se a festa com quem de nós faz parte, por esta ou aquela razao, naquele tempo, naquela fase, mas que nos tocou e ligou.
Não via a Ana há muito tempo, e a vida tem isto de magico, o coraçao comanda, e pegamos passados 10 ou mais anos, na conversa onde parámos...como se o tempo não contasse, como se nada se tivesse feito intervalo.O abraço foi forte e sentido, e no olhar, tudo continuava lá. Como há-de continuar, para lá do que são rotinas, problemas e questoes. Quando gostamos, gostamos.
A Lua que ela gosta como eu, estava plena, cor de laranja e cheia, sobre o rio. Foi, e sei que sim, encomendada para ela, como se as cortinas do Céu se abrissem e a deixassem actuar numa dança toda a noite.
Obrigada Ana por seres tão tu. Foi muito bom ver-te e confirmar-te.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

VIVER É ISTO MUITO.

VIVER É SER AMADO.
COMO PODEMOS VIVER SEM ISTO? SEM ESTA COISA DE NOS GOSTARMOS, A PONTO DE DEIXARMOS QUE ALGUEM NOS AME? NÃO, NÃO VIVEMOS, NÃO SE PODE VIVER DE OUTRA FORMA. VIVER É SER AMADO.
VIVER HOJE  É TER APRENDIDO A SER AMADA POR TI, NA TUA VERSAO DE TE DARES, DE NAO MOSTRARES, MOSTRANDO, PORQUE ESTANDO. E AFINAL, ESTÁS SEMPRE. VIVER É SER AMADA COMO SOU E ACEITAR. E SABER QUE VALHO O AMOR QUE ME TENS E TAMBEM O QUE TENHO PRA TE DAR, NA MINHA MEDIDA, Á MINHA MANEIRA. E QUE VALES O QUE TE AMO TAMBEM. TÁ CERTO. POIS ESTÁ.SIMPLES DE TÃO VERDADEIRO AFINAL.

domingo, 23 de maio de 2010

nao sei, se sei

ás vezes, que sao muitas não sei de ti. sei de mim, a querer saber de ti e nada encontro.
ja nao me lembro de como era, mas sei que nao era assim.
silencios enormes da distancia. silencios iguais á distancia que separa.
encho a minha vida onde muitas vezes nao estas. um dia de tao habituada perco-me do essencial, que era nosso, e ja nao parece ser talvez. ou então é hoje que assim me sinto e vejo.
vou fugir, disto que sinto.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

turn off

desligar o botao do verbo esperar.
para nao sentir que espero.assim passo o tempo sem contagem. a soma dos dias faz-se do presente. 
razoes do coração, aplicadas em equaçao.  

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Bon Iver Simple Man (Graham Nash cover)

quem sabe, fala, e escreve.


Há Momentos


Há momentos na vida em que sentimos tanto

a falta de alguém que o que mais queremos

é tirar esta pessoa de nossos sonhos

e abraçá-la.


Sonhe com aquilo que você quiser.

Seja o que você quer ser,

porque você possui apenas uma vida

e nela só se tem uma chance

de fazer aquilo que se quer.


Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.

Dificuldades para fazê-la forte.

Tristeza para fazê-la humana.

E esperança suficiente para fazê-la feliz.


As pessoas mais felizes

não têm as melhores coisas.

Elas sabem fazer o melhor

das oportunidades que aparecem

em seus caminhos.


A felicidade aparece para aqueles que choram.

Para aqueles que se machucam.

Para aqueles que buscam e tentam sempre.

E para aqueles que reconhecem

a importância das pessoas que passam por suas vidas.


O futuro mais brilhante

é baseado num passado intensamente vivido.

Você só terá sucesso na vida

quando perdoar os erros

e as decepções do passado.


A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar

duram uma eternidade.

A vida não é de se brincar

porque um belo dia se morre.

Clarice Lispector

não estado da nação...

O estado da naçao, é a nação sem estado.
Portugal, atravessa uma crise profunda.disfarçada, nada assumida, tudo de fugida.
Quem manda, quem governa, desgoverna-se..cola com cuspo, como se a Europa fosse a culpa de Portugal estar assim. Que chatice, somos europeus...somos vitimas, do euro, somos vitimas da europa. Calcule-se!Encolhemos os ombros, sem nada fazer, pagamos mais impostos, pagamos pagamos pagamos...cadê o recibo, contra a factura eterna?
Quanto mais sei disto, mais confirmo o meu sonho. ir embora daqui. viver no campo, viver do que planto, colher o que semeio. não é fuga, é procura e busca, de uma vida com qualidade.
Recuso me a ser contagiada, recuso-me a ser mais uma que se conforma encolhe os ombros e continua.
não somos iguais a eles, aos wanna be's que tudo dao para o poder ter.
Ao menos sei isso..um dia vou.

terça-feira, 4 de maio de 2010

sobre a generosidade.




A generosidade é dos melhores dons que considero.A generosidade torna as pessoas maiores pelo bem que fazem aos outros. Dar sem esperar, dar a entregar, dar porque se pode e se quer e se percebe que alguem precisa. O começo da generosidade é a atençao e a disponibilidade para se apanhar o outro numa curva apertada e a antecipaçao da dadiva gratuita, que se presta, que se poe a jeito.
É na forma de um sorriso, de uma esmola, de tempo, de boleias, de cartas e palavras que se dizem e escrevem, de um abraço, de uma transferencia. É em todos os sentidos a transferencia de uma qualquer coisa de nós ao outro. E a verdade, é que quanto mais se dá, mais nos multiplicamos. Aí se percebe que o alivio do outro tambem é nosso, o seu contentamento também nos pertence em apaziguamento e consolo.
Vale a pena dar. Sempre.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

take to of us

adoro tu.

fica sempre o vazio de quando partes.
fica sempre em mim presente a obrigaçao da dignidade, da força, da coragem para tentar tornar banal a tua partida. como se nada fosse, como se  fosse costume e habito. como se ha anos assim fosse.
mas não. custa me muito. nao te quero deixar ir. apetece me que nao haja avioes naquele dia, nem nos outros, apetece-me que numa força do destino não te deixem embarcar afinal, porque o aviao não tem combustivel, devido a uma greve da galp......apetece me sempre que fiques por tudo, ou por nada, mas que fiques.
e sei meu amor, que 1 dia haverá em que nunca mais voltas, e ficas connosco para sempre.
sei isso no fundo de mim e consolo-me, por tanto acreditar.
a vida é isto mesmo.
fica o teu cheiro na almofada, que recuso por a lavar, e durmo agarrada ate nao poder mais....ficam as imagens os sons as memorias tão vivas de momentos que sao nossos, e ninguem tira, eu sei.
ficas em mim, estas em mim, sou em ti...adoro, adorar-te.

terça-feira, 20 de abril de 2010

tu nao és eu.

se eu fosse tu, nao era assim. nao era como tu és. era mais numas coisas, como eu sou.
facil dizer isto quando não sou tu. tu la sabes as razoes que te levam.
ficas com isso. eu fico comigo.

terça-feira, 13 de abril de 2010

never, never forget how to kiss


hoje publica-se o dia do beijo.
o beijo é uma entrada para um qualquer paraiso, li algures hoje a proposito da data.
adoro beijos. todos. nos pes do meu sobrinho francisco á bocado. nas bochechas do meu duarte, na boca do meu amor...beijos de olhos fechados, directos ao coraçao.
beijos parados, beijos emocionados, beijos suspensos, beijos apaixonados. beijos a dormir. beijos a sonhar.beijos acordar. beijos no mar. beijos de principe que tu es para mim..

o obvio tambem se diz.


o obvio so porque é obvio, tambem tem direito a tempo de antena.
ou só porque de ser obvio, nao merece ser ouvido?
se o obvio se confirma por obvio ser, mais uma razao para dizer...até porque o obvio para ti, pode nao ser tão obvio assim, para mim.
nunca é demais confirmar de vez em quando o obvio do que se sente, por exemplo.
uma coisa é esbanjar e gastar sem tom nem som, outra coisa é dizer porque ouvir é importante...por mais que se saiba, por mais que se sinta. não se gastam as palavras se estas são mesmo sentidas. vivem-se. animam-se. e enchem-nos o dia.
eu digo quase sempre o que sinto. invisto em dizer, acredito assim multiplicar.
para mim o obvio tambem se diz..

sexta-feira, 26 de março de 2010

vira te ao contrario

:: para ti. sim isto é para ti.
:: para mim? como assim?
:: para ti que foges de ti,e de mim. porque, só porque nao te queres ver. abres guerras achando que os outros te atacam, quando afinal tu, só tu é que te defendes. e defendes te de ti proprio.
:: cuidado nao me fales de mim assim.
:: falo e digo. sabes porquê? porque vales a pena. e se te perdes de ti, perdes te de todos nós tambem.

tudo vale a pena. e ainda por cima a vida não é pequena.

quinta-feira, 18 de março de 2010

a dor do outro é nossa tambem.
a alegria do outro é nossa tambem.
isto claro quando gostamos muito, do outro.

quarta-feira, 17 de março de 2010

obrigado que chega.

A maria escreveu isto e mandou-nos. eu gostava de dizer exactamente isto aos meus amigos, ela incluida..e por isso fiz minhas palavras dela...um perfeito Copy past, sem pesos nem culpas......obrigada eu, maria...

“Um dia acordei de repente e vi que tinha tudo o que queria. Isto não é normal, pensei. Mas era verdade. Tenho quase tudo. Não porque mereça. Não porque tenha trabalhado para isso. Tenho tudo o que quero – e olhem que não quero pouco – simplesmente porque tenho sorte. “ (M.E.C.)



Pois é assim que me encontro por estes dias meus queridos amigos. E naquela noite, estava no auge desta euforia.


Grata. Tão grata, cega de gratidão, incapaz de ver defeito no que quer que fosse, o bolo de chocolate estava um pouco seco mas não faz mal porque a blatertarte estava divina e compensou, o reverso da medalha a fazer-se valer e a falar mais alto.


Talvez goste agora de viver como nunca, mais do que nunca. Talvez goste de vocês como sempre mas precise de vos ter por perto como nunca. Por fazer sentido. Será também a noção de que metade já passou e só temos na melhor das hipóteses outra metade e há que aproveitar. E estou hoje mesmo feliz (eu que me recusei muitas vezes a usar esta palavra por ser imprecisa) – quero dizer que estou feliz por me ter calhado em sorte ter-vos como amigos.


Alguma coisa mudou, ainda não sei bem definir a mudança mas durante muitos anos fui muito auto-suficiente, gostava muito da parte boa da solidão e exerci-a profundamente mesmo sabendo que a parte menos boa vinha junto, viciei-me em não precisar de ninguém para quase nada. Depois fui mãe. A vida virado do avesso. Tudo outra coisa, o tempo deixou de ser meu, o território da minha alma foi de tal maneira ocupado que eu quase não caibo nele. O tempo de estar só passou a ser interdito sem ses nem mas. E este bocadinho em que vos escrevo no silêncio da casa noite dentro (a qualquer momento interrompida pelo choro da Sancha que não consegue dormir ou da Violeta com um pesadelo novo) gozo-o como um mergulho no mar num dia quente e respiro fundo. Isto para dizer que tudo é bom, o tempo não ser meu e o tempo ser meu. O que gostando de vocês não precisava, e o que agora continuando a gostar, preciso. Isto para dizer que não prescindo de nenhum de vocês e que passou a ser importante sentir-vos perto, no tempo como um rio, na alma como uma casa.


Sei hoje a sorte que tenho por sermos amigos - vou-me agarrar a ela e fazer por merecer não perdê-la.


Gostei tanto da minha festa, de celebrar 40 anos 40 amigos, que estou a pensar vestir-me de noiva e casar-me só para fazer outra festa melhor ainda. Com cada um de vocês!

i wish you were here...

Dizia ela:
tenho pena que o durante, nao seja como o principio. o principio soube me a pouco, tenho a sensaçao de que não o gozei plenamente, ou se o fiz, queria mais do mesmo...
o durante é como um dado adquirido, ja faz parte, não é novo.
não tem surpresa lá dentro. nostalgica sensação que fica do que ha tão pouco foi. ainda estava na capsula, o foguetão a arrancar sem saber bem para onde ia, mas tão livre porque sem destino...tão cheio de sonhos la dentro..sabia so que as estrelas ia ver...e viu, mas nao as apanhou..
Dizia eu:
pois...as historias são feitas assim..o era uma vez do principio, está reservado para o começo do encanto...depois porque vivido e conhecido, esquecemo-nos de continuar a cativar...como se não fossemos responsaveis por isso..como se o encanto se perdesse na paz daquele abraço.
e nada mais se repete. por isso existe a memoria..para nos lembrarmos do que nos foi dado viver...graças a isso, temos la bem no fundo de nós, a maquina do tempo que nos leva...aonde queremos.
-mãe, se fecharmos os olhos é quase como se o que imaginamos fosse verdade.
tem razao o duarte..tem toda a razao.
Dizia ela:
pois é...i wish upon a star....
Dizia eu:
you are. a star.

sexta-feira, 12 de março de 2010

já chega.

ha coisas que eu nao percebo.
o sofrimento prolongado, a continuidade da condenação, a impotencia da nossa parte, face á tentativa de aliviar a dor de alguem de quem gostamos muito.
Deus existe? Deus existe como? o que quer de nós. o que nos pede e para quê?
não percebo o criterio, tenho duvidas. existir existimos nós, e é nisso que acredito. existimos em força e compaixão mais do que sabemos ou imaginavamos..so pode e falo por mim.
de cada vez que enfrento a doença da minha Mãe e a encaro, sem batotas e desfesas, vem me a duvida ao coração...
- mas sra.dra. nao pode tirar de mim para a aliviar? tire um remendo de mim, e cole-o na minha mae, no joelho dela que tão cedo não vai sarar....
- nao nao é assim. não pode ser.
que violencia, que absurdo, que revolta que zanga..direito a dias assim.
triste, hoje tou assim. entrego esta angustia a uma força maior para lá da minha, para ládo que acredito ser humanamente possivel.

segunda-feira, 8 de março de 2010


preciso de saber que um dia volto á india.
um dia volto a india e tu vens comigo, sentir de mao dada a alegria daquele lugar.
o por do sol naquela praia em goa. os cheiros das especiarias. os olhares profundos, de quem nos le a alma.
o desapego do que nao é importante, no exemplo das atitudes. a dimensao da liberdade e da paz, numa energia magica que contagia. a espiritualidade em forma de esperança para o eterno.
nós somos dali tambem. um dia vamos? vamos. iremos sim. quero amar te lá também.